Como funciona o sistema de saúde nos Estados Unidos?

É normal que cada país tenha uma forma de pensar e oferecer saúde para os cidadãos. Mas você já parou para se perguntar como funciona o sistema de saúde nos Estado Unidos? Essa é uma dúvida comum e que pode surgir em diversos brasileiros que estão pensando em imigrar para os EUA.

Em comparação com o Brasil, a principal diferença é que por lá não existe um sistema que seja parecido com o Sistema Único de Saúde (SUS). Ou seja, lá é preciso pagar para ser atendido. Não que o brasileiro não pague pelos serviços que estão disponíveis por aqui. Na verdade, todo o valor revertido em saúde já foi pago por meio de impostos e taxas. A diferença é que por lá você deve pagar pelo atendimento assim que finaliza um procedimento ou uma internação, assim como fazemos no Brasil nos casos de clínicas privadas.

Ficou curioso e quer saber como funciona o sistema de saúde nos Estados Unidos? Então, confira o nosso texto até o final e conheça todos os detalhes!

Histórico da saúde americana

Antes de começar a falar sobre as formas de saúde que estão disponíveis nos EUA, é fundamental compreender o histórico da saúde naquele país.

Para quem não sabe, os Estados Unidos possui 300 milhões de habitantes, sendo uma das maiores populações do mundo. É claro que não é fácil oferecer acesso à saúde para todas essas pessoas, portanto, cada um terá que escolher a modalidade que for melhor, de acordo com a demanda. O fato de não contar com uma saúde pública e oferecer opções privadas para a sociedade não é algo dos últimos governos, mas uma cultura que já existe há anos. Para entender melhor essa história, é preciso voltar anos, no momento da história em que algumas pessoas começaram a contestar o modelo de saúde.

É claro que os atendimentos pagos são caros e muitos americanos não conseguem arcar com as dívidas. Esse problema não é de hoje. A primeira vez em que uma pessoa questionou a forma como era levada a saúde americana foi em meados de 1850, com o ativismo de Dorothea Dix. Naquela época, foi criado um projeto de lei que tinha como objetivo assegurar o direito à saúde para todos os cidadãos americanos. Esse pedido foi capaz de deixar muitas pessoas confusas, afinal, uma parte da população percebeu o quanto aquilo poderia mudar vidas, enquanto o restante não ficou satisfeito.

A ideia desse projeto de lei foi barrada com a alegação de que o bem-estar do indivíduo não deveria ser obrigação do estado. Anos depois, o ex-presidente americano Theodore Roosevelt tentou emplacar um sistema de saúde público, que seria o responsável por atender a todos os americanos, assim como é no Brasil. Entretanto, essa ideia foi vetada por políticos do partido Republicano e do Democratas.

Desde então, a saúde americana é baseada apenas em instituições privadas, independentemente da classe ou renda dos americanos. O assunto é complexo e ainda divide opiniões em diversas regiões do país, afinal, pagar pela saúde pode ser algo caro em diversos países do mundo.

Vale ressaltar que em alguns locais do mundo, como Brasil e Inglaterra, o cidadão pode usufruir de um atendimento público. Entretanto, nos EUA, todos que desejam um atendimento completo e contínuo precisam contratar um serviço privado. Apenas os americanos que vivem abaixo da linha da pobreza conseguem solicitar um atendimento ou emergência gratuita por meio dos programas Medicare e Medicaid.

Como funciona o sistema de saúde nos Estados Unidos?

Agora que você já sabe que o sistema de saúde nos Estados Unidos é baseado majoritariamente em instituições privadas, chegou o momento de conferir quais são as opções disponíveis.

Como mencionado acima, vimos que aqueles que não possuem condições podem optar pelo Medicare e Medicaid. Vamos conferir as diferenças entre eles?

• Medicare: esse formato funciona como um seguro social e foi criado em 1966. O objetivo é oferecer atendimento médico para americanos com mais de 65 anos que contribuíram com o pagamento de impostos para a saúde durante os anos de trabalho. Essa modalidade de serviço também engloba pessoas com deficiência ou condições que dificultem o trabalho.Vale ressaltar que o serviço é dividido em quatro frentes e nem todos os americanos possuem acesso a todos os segmentos.

• Medicaid: essa opção é voltada para americanos de qualquer idade que não possuem boas condições financeiras. Neste caso, os custos são bancados pelo poder federal e estadual. Sendo assim, após ser atendido, o governo é responsável por ressarcir médicos e hospitais.

É o estado que diz quem pode ou não utilizar essa forma de atendimento.

Como funciona o sistema de saúde nos Estados Unidos nos casos em que o acesso à saúde será feito de forma particular?

Outro fator bem diferente do Brasil é que, por lá, cada estado ou federação tem o poder de regular os planos de saúde e os atendimentos particulares. Isso significa que é possível encontrar locais onde os atendimentos que devem ser pagos pelos planos variam de acordo com as orientações da região.

Uma das maneiras mais comuns de ter um plano de saúde é trabalhando em uma empresa que ofereça esse benefício. Assim como no Brasil, os planos oferecidos variam entre empresarial e de pessoa física, com as opções de individual ou em família. Os atendimentos que serão oferecidos podem variar de acordo com a modalidade do plano escolhida e as regras daquele Estado. Outra situação bem comum é que a mensalidade paga é para a seguradora e cobre apenas algumas utilizações, como emergência e atendimentos básicos. Em casos de acompanhamento médico ou até mesmo cirurgia, o valor pode ser cobrado separadamente dos demais serviços.

Não há dúvidas de que a saúde é um assunto sério e precisa ser pensado antes mesmo de imigrar para outro país, afinal, mesmo que você não pague um plano, é preciso ter uma reserva para lidar com as urgências.

Agora você já sabe que a saúde deve fazer parte do seu orçamento nos Estados Unidos, não é mesmo?

Gostou de saber como funciona o sistema de saúde nos Estados Unidos? Então, continue acompanhando o nosso blog e não perca nenhuma novidade!