Visto L1 e Visto E2: como funciona e quem pode tirar?

Em busca de condições melhores de vida, inúmeras pessoas, todos os anos, tentam imigrar para o exterior, ou simplesmente trabalhar em território estrangeiro, e o alvo preferido, com certeza, são os Estados Unidos. Para conseguir ingressar de maneira legal, autorizações como visto L1 e o visto E2 são necessárias.

No caso de trabalho, o processo apresenta vários tipos de visto para uma pessoa conseguir entrar nos EUA legalmente. São alguns exemplares os vistos H1B, H1C, H2A, H3 e vários outros.

Há aqueles específicos para pessoas que só querem trabalhar para empresas, outros são destinados a empreendedores e ainda há aqueles que são designados para executivos. São muitas opções que atendem às mais diversas necessidades.

Neste conteúdo vamos falar mais especificamente do visto L1 e visto E2. Vamos entender melhor como eles funcionam e quem pode tirar, mas já podemos adiantar que ambos são classificados como não imigrantes, que são aqueles necessários para visitas temporárias, seja por conta de trabalho, estudos, intercâmbio ou turismo.

Boa leitura!

Sobre o visto L1

Esse visto de trabalho permite que executivos, gerentes, administradores e profissionais que executam funções especializadas em uma organização sejam transferidos de sua sede, em um país estrangeiro, para uma filial nos Estados Unidos.

Os familiares diretos de quem for transferido poderão acompanhá-lo. O cônjuge poderá receber o visto L2 e terá a chance de trabalhar em qualquer lugar do país.

Um excelente ponto positivo do visto L1 é que há a possibilidade de migrar para a residência permanente, o Green Card.

Explicamos melhor sobre vistos de trabalho e Green Card neste post aqui.

Tempo de permanência autorizado

Isso vai depender de qual cargo ou função que o transferido executa. Para os executivos e gerentes, o tempo máximo de permanência não poderá exceder sete anos e ele receberá o tipo L1-A. Para administradores e funcionários especializados, o tempo máximo é de 5 anos, adquirindo o tipo L1-B.

Em ambos os casos, os familiares diretos têm direito ao mesmo período de permanência que o titular do visto possui.

Outro fator que será levado em consideração é o tamanho e o tempo de funcionamento da empresa no território norte-americano. Se a empresa for bastante nova, geralmente o período de permanência inicial concedido pelo visto L1 é de um ano.

Se a empresa estiver em funcionamento há mais de um ano e bem estabilizada, então o visto L1 poderá ser concedido inicialmente por 3 anos.

O que é preciso para conseguir o visto L1?

É obrigatório provar que há um vínculo entre a organização estadunidense e a empresa estrangeira. Dessa forma, faz-se necessário comprovar que essa organização localizada nos EUA é controlada pela sede, ou seja, é preciso que a empresa possua pelo menos 50% das ações da instituição em território norte-americano.

A empresa estrangeira deve continuar realizando negócios através de sua filial durante todo o período de vigência do visto, até que o período de permanência acabe ou seja concedido o Green Card. Isso para manter a legalidade na estadia seja do gerente, funcionário ou de toda a sua família.

Também há a necessidade de comprovar que o empregado trabalhou durante um ano ininterrupto para a empresa e dentro de um prazo de três anos anteriores à sua candidatura, além de uma série de outros documentos que comprovem identidades, orçamentos, dados e afins.

Sobre o visto E2

Esse visto é concedido para que empreendedores consigam residir nos Estados Unidos para investir em um negócio localizado no país por um período determinado. A quantia deve ser significativa, apesar de não ser fornecido um valor exato.

Um ponto importante é que o empreendedor deve residir em um país que mantenha um tratado de comércio e navegação. É possível levar o cônjuge e os filhos que não forem casados e menores de 21 anos com o titular do visto.

Vale lembrar que o Brasil não possui esse acordo bilateral com os EUA, logo, para conseguir o visto E2 é necessário ter dupla cidadania em algum país que possua esse acordo.

O visto é processado pelo consulado do país no qual o indivíduo reside, diferentemente de muitos outros tipos. Isso torna todo o processo mais rápido e fácil.

Tempo de permanência

Geralmente o tempo concedido gira em torno dos 5 anos. Mas não há limite no número de renovações, contanto que a empresa esteja em funcionamento e gerando lucro.

O que é preciso para conseguir o visto E2?

Primeiro é preciso que o país do requerente mantenha um tratado de comércio e navegação com os EUA, pois só pessoas que residem neles podem entrar com o processo para conseguir o visto E2.

Não há uma quantia mínima que a lei americana estabelece para o empreendedor investir no negócio, mas o recomendado é que o investimento seja superior a 90 mil dólares. Vale frisar que esse valor é somente uma base e o número real exigido pode ser muito superior, dependendo da natureza do negócio.

Isso é feito para que o Estados Unidos tenham uma garantia de que aquele indivíduo está entrando no seu território para realmente criar um negócio. Assim, mais empregos são gerados e a economia do país melhora.

Para ajudá-lo a entender melhor como funciona o processo de imigração, desenvolvemos um ótimo conteúdo gratuito: o Guia completo de imigração para os Estados Unidos.

Muitas dúvidas podem surgir na cabeça sobre vários pontos, tanto sobre como obter os vistos, quanto conhecer como é viver nos EUA. São questões bastante comuns. O Imigrefácil está sempre produzindo conteúdo para facilitar a vida de quem é imigrante. Não deixe de conferir!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *