Diferença entre os vistos imigratórios e não imigratórios

Você conhece a diferença entre os vistos imigratórios e não imigratórios? Essa é uma das dúvidas mais comuns de quem quer fazer o processo de imigração. Se você já nos acompanha aqui no blog do Imigre Fácil, deve saber bem que estamos sempre fazendo publicações aqui sobre os vistos imigratórios, assim como vistos de residência permanente nos Estados Unidos e seus respectivos processos.

Como ainda não abordamos essa questão diretamente, preparamos esse post para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto. Existem muitas diferenças entre os vistos, mas ambos são capazes de cobrir a realidade dos mais diversos profissionais, sendo que cada um se encaixa como uma luva na necessidade de cada um. Por isso, é importante saber quais são os vistos imigratórios e os não imigratórios, para ter certeza dos que conversam com seus objetivos.

Continue lendo o post e conheça todas as diferenças!

Os vistos norte-americanos e seus potenciais imigratórios ou não imigratórios

Os vistos mais procurados certamente são os vistos de imigrantes, ou seja, os vistos imigratórios, que dão permissão às pessoas para viver nos Estados Unidos de forma permanente, culminando no tão sonhado Green Card.

Basicamente, existem dois grande motivos que levam as pessoas a procurar os vistos imigratórios. O trabalho é um dos principais motivos. Nesse caso, o visto é concedido por meio de uma oferta de emprego ou quando o profissional deseja investir no país.

Os vistos são do recorte EB (Employment Based) e vão desde o número 1 até o número 5. No caso do EB-2, temos ainda a variação EB-2-NIW, no qual o trabalho daquele imigrante é do interesse nacional americano. Já falamos sobre isso aqui no blog.

Outro grande motivo para o visto migratório é o casamento (ou laços familiares). Uma vez que o indivíduo se case com um cidadão americano, ou mesmo se é parente de alguém que é cidadão ou possui um Green Card, é possível aplicar para o visto de permanência nos Estados Unidos.

Vale lembrar aqui que, uma vez vivendo 5 anos legalmente sob o manto do visto de permanência, é possível pedir a cidadania americana, se tornando um cidadão completo e aproveitando tudo o que o país tem a oferecer. A segurança de ter a cidadania é incomparável, uma vez que ela não poderá ser ser revogada, somente em casos excepcionais e por sentença judicial, e também não precisará de renovação.

Como conseguir um visto imigratório?

Para conseguir um visto imigratório, via de regra é preciso do patrocínio direto de alguém que seja cidadão ou residente legal ou de um empregador, dependendo da motivação para a imigração. É esse patrocinador que controlará o processo no outro país. Normalmente é necessário fazer uma petição. (Existem casos de vistos sem necessidade de um sponsor. Confira no nosso canal do Youtube a aula sobre Vistos de Trabalho e entenda!).

Para isso, o patrocinador dá início ao processo no USCIS, o Serviço de Cidadania e Imigração dos EUA. Por isso é tão importante contar com um patrocinador em território estrangeiro.

Para encontrar trabalho por lá, hoje em dia é mais fácil do que nunca. Ferramentas como o LinkedIn, além dos inúmeros sites de emprego, reúnem também vagas internacionais. É claro que para isso é preciso ser um profissional de enorme destaque na área de atuação.

O diversity immigrant visa

Também conhecido como a loteria do Green Card, esse é outro caminho para quem quer migrar para os EUA. O programa dá aos imigrantes um Green Card com a base de diversificar os imigrantes do país segundo sua nacionalidade.

Para isso, são escolhidas pessoas de países com os menores números de imigrantes nos últimos 5 anos. Como o Brasil está entre os países que mais imigra para os EUA, e não faz parte do programa, a verdade é que esse caminho é muito improvável.

E quanto aos vistos não imigratórios?

Já os vistos não imigratórios também são muito comuns, sendo que é provável que você tenha um deles: o visto de turista. Esse é o documento que permite estadia de uma pessoa em um país estrangeiro por um tempo determinado. É o modelo mais comum e tem vantagens como a menor burocracia, uma boa duração e diversos outros.

A maior desvantagem, evidentemente, é o tempo máximo de permanência no país. Por exemplo, o visto de turista americano pode levar até 10 anos sem que você precise de um novo, mas você só pode ficar lá por até seis meses.

Outro visto de não imigrante comum é o visto de estudante. Para consegui-lo, é preciso ter um curso ou qualquer outro objetivo educacional que tenha mais de 18 horas semanais. Se a carga horária não for suficiente, o visto não é aprovado.

A maior vantagem do visto de estudante é que ele tem uma duração mais longa, geralmente o tempo do curso mais dois meses. Além disso, ele é relativamente simples de ser obtido. A maior desvantagem é que você precisa estar em uma situação muito específica para consegui-lo.

Por fim, o visto de trabalho temporário é concedido para quem já tem um emprego no país, de natureza temporária. Existem três tipos de visto de trabalho temporário:

  • H-1B: para quem vai trabalhar temporariamente na condição de especialista. Por conta disso, é preciso comprovar as habilidades por certificado ou por graduação;
  • H-2: para quem vai trabalhar em vagas sazonais em trabalhos temporários;
  • H-3: para quem vai participar de um programa de treinamento da empresa e depois regressar ao país.

Confira os artigos que já publicamos aqui no site previamente e não esqueça de sempre acompanhar nossa plataforma para estar em dia com o que há de mais atual no mundo dos vistos para os Estados Unidos e o processo de imigração.

Abraços e até mais!