Saiba como é a vida de um imigrante nos Estados Unidos

Atualmente, cerca de 1,6 milhão de brasileiros vivem em solo norte-americano. O sonho de uma vida melhor faz com que milhares de brasileiros desejem morar nos EUA. Mas será que a vida de um imigrante nos Estados Unidos é realmente boa?

Uma das principais razões que levam o brasileiro a ir para os Estados Unidos é a possibilidade de obter oportunidades melhores e a maioria dos imigrantes realmente consegue viver muito bem por lá.

renda média dos brasileiros que moram em solo americano é até sete vezes maior do que a das pessoas que trabalham no Brasil. Além disso, antes da pandemia causada pela Covid-19, 95% dos brasileiros que moravam nos Estados Unidos estavam empregados.

O que leva alguém a ser imigrante nos Estados Unidos?

Segundo um levantamento feito pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil, 55% das pessoas que se tornam imigrantes nos Estados Unidos buscam uma vida melhor, 12% querem recomeçar a vida, 11% querem um salário melhor e 10% buscam um emprego.

Os estados que mais concentram brasileiros nos Estados Unidos são:

– Flórida;

– Massachusetts;

– Califórnia;

– Nova Jersey;

– Nova York.

Entretanto, a região metropolitana de Boston é o local com o maior número de imigrantes brasileiros nos Estados Unidos.

Para conseguir morar e trabalhar legalmente nos EUA é preciso ter um visto adequado. O tipo de visto que você vai solicitar vai depender do tipo de cargo que você deseja ocupar e do seu grau de especialização.

Como é a vida dos brasileiros nos EUA?

A cultura norte-americana é muito diferente da brasileira e o imigrante precisa ficar atento aos hábitos praticados no seu novo país, para conseguir conviver melhor com os norte-americanos e também para alcançar bons postos de trabalho.

Os norte-americanos são muito patriotas e não gostam de ouvir críticas ao seu país. Além disso, os nativos desse país também costumam ser mais “fechados”, principalmente com estrangeiros. No entanto, em alguns estados e cidades americanas a população é mais receptiva, o que pode facilitar o processo de adaptação de quem é novo no país.

A forma como os americanos trabalham é diferente da brasileira: lá não há direitos trabalhistas padrão, como férias de 30 dias ou licença maternidade, tudo isso vai depender do acordo que for firmado entre o funcionário e a empresa.

Os norte-americanos também não costumam contar com um suporte para pequenos reparos e tarefas do dia a dia. Por exemplo: eles fazem pequenas reformas nas próprias casas e não contam com ajuda de um frentista para encher o tanque de gasolina.

Como conseguir um emprego nos Estados Unidos?

A economia dos EUA é mais poderosa no mundo, por isso muitos brasileiros conseguem bons trabalhos lá. No entanto, para conseguir um bom emprego nos Estados Unidos, é necessário ser um imigrante legal.

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Exterior (Abracomex), quem deseja uma boa colocação no mercado de trabalho americano precisa preencher alguns requisitos, como:

– Falar inglês fluentemente;

– Fazer um currículo de acordo com o modelo usado pelos americanos;

– Ter um perfil em inglês no LinkedIn;

– Procurar emprego nas cidades com mercado de trabalho mais promissor;

– Saber quais setores da economia tem mais vagas;

– Validar seu diploma nos Estados Unidos;

– Conseguir indicações de outros brasileiros que moram nos EUA.

Outro fator que pode beneficiar os brasileiros que estão em busca de um emprego em solo norte-americano é que muitas empresas do país procuram profissionais que sejam fluentes na língua portuguesa.

Para encontrar essas organizações, basta digitar a palavra “portuguese” no campo de buscas do LinkedIn.

Além disso, ainda de acordo com a Abracomex, quem quer ser imigrante nos Estados Unidos deve considerar aceitar um subemprego, como garçom ou babá, se não conseguir uma colocação na sua área de atuação em um primeiro momento.

Quais são as principais dificuldades enfrentadas por um imigrante nos Estados Unidos?

Quem mora nos EUA tem uma renda superior à média brasileira, tem acesso a produtos mais baratos e vive em um ambiente com mais segurança, especialmente se o local escolhido para morar for um subúrbio. No entanto, o imigrante nos EUA também enfrenta alguns problemas.

Um brasileiro que deseja exercer a sua profissão nos Estados Unidos vai precisar validar o seu diploma. Entretanto, o governo exige que os profissionais de algumas áreas, como medicina e engenharia, façam cursos complementares para poder trabalhar na área na qual se formaram no Brasil.

Os EUA não contam com um sistema de saúde gratuito, como o SUS. Sendo assim, quem não tem um plano de saúde precisa pagar pelos procedimentos médicos, que não costumam ser baratos.

Apenas os imigrantes de baixa renda que têm Green Card é que podem contar com o plano de saúde do governo, chamado Medicaid.

Outro ponto que pode atrapalhar o processo de adaptação do imigrante nos Estados Unidos é o clima frio, dependendo do estado. Em alguns locais, a temperatura chega a 10 graus abaixo de zero e neva muito, a ponto de ser impossível sair de casa.

Quanto custa morar nos Estados Unidos?

custo de vida é algo que deve ser levado em conta na hora de escolher em qual cidade americana você vai morar. O valor da moradia, do transporte e da alimentação varia muito de acordo com a localidade.

Boise, que é a capital do estado de Idaho, por exemplo, tem um custo de vida 40% menor do que o da cidade de Nova York.

Além disso, o custo de vida nos Estados Unidos é aproximadamente 68% maior do que no Brasil. No entanto, como os salários lá costumam ser mais altos, é possível compensar essa diferença entre os gastos básicos aqui e nos EUA.

Se você quer saber mais sobre a vida de imigrante nos Estados Unidos e o que é preciso fazer para morar legalmente neste país, acesse os outros conteúdos deste blog. Aqui você encontra informações atuais e relevantes sobre esse assunto!