Como fazer residência médica nos EUA e iniciar a carreira

Como fazer residência médica nos EUA

Estudantes da área da saúde que planejam atuar no exterior querem saber como fazer residência médica nos EUA.

Estamos falando de uma excelente oportunidade de internacionalizar o currículo, conhecer a realidade da profissão em outro país, ganhar experiência em instituições e hospitais de referência e ampliar a rede de contatos.

Para conquistar uma vaga em um programa desses, é necessário ter dedicação, tempo e estudar muito, mas o esforço é bem recompensado.

Por isso, neste artigo mostraremos como fazer residência médica nos EUA, quais são as etapas para seleção, as principais características dos programas, quanto tempo leva, quanto um residente ganha e se a experiência é válida para o Brasil.

Como fazer residência médica nos EUA 

O processo seletivo para fazer residência médica nos EUA é diferente do realizado no Brasil, inclui diversas etapas, requer investimento financeiro e muito preparo.

Você precisará validar seu diploma brasileiro de medicina, ter domínio do inglês, prestar provas, apresentar cartas de recomendação e, para muitos programas, ter publicações e fazer um estágio no país.

Para validar o diploma, você deve realizar o exame de licenciamento médico chamado United States Medical License Examination (USMLE), que é composto por três etapas, ou “steps”.

A sua inscrição no USMLE deve ser realizada por meio da Comissão Educacional para Graduados Médicos Estrangeiros (Educational Commission for Foreign Medical Graduates – ECFMG)

Saiba mais a seguir.

Step 1

Consiste em uma prova de quase 300 perguntas teóricas sobre conhecimentos básicos de diferentes áreas da medicina.

São 7 blocos de 60 minutos, com no máximo 40 questões cada, num total de 7 horas de teste realizado em um dia.

Esta é uma etapa on-line e pode ser feita do Brasil, desde que em centros credenciados.

Step 2

Nesta fase, são avaliadas a capacidade de aplicar o conhecimento médico, as habilidades e a compreensão da ciência clínica nos cuidados ao paciente sob supervisão, com ênfase na promoção da saúde e prevenção de doenças.

São 8 blocos de 60 minutos, em um total de 8 horas de prova e quase 320 questões.

Até pouco tempo, a fase 2 era composta também de uma prova prática presencial, que foi descontinuada devido à pandemia de covid-19.

Step 3

Nesta prova teórica, são avaliados o conhecimento e as habilidades nos cuidados médicos gerais aos pacientes de forma independente, com ênfase no manejo em ambientes ambulatoriais.

O conteúdo deste exame final reflete um modelo baseado em dados da prática médica generalista nos Estados Unidos.

É dividido em dois dias.

Com essas três etapas realizadas, você terá a validação do seu diploma de medicina e o certificado necessário para a residência.

Match

Concluídas as etapas do USMLE, chegou a hora de participar do Match, que é o Programa Nacional de Correspondência de Residentes.

Nele, você indica em quais hospitais dos EUA têm interesse em fazer residência, ao passo que os programas que se interessarem em tê-lo na equipe irão chamá-lo para uma entrevista.

Você pode participar de mais de uma entrevista e aplicar para mais de uma especialidade.

Finalizadas as entrevistas, será feito um cruzamento do seu ranking de instituições preferidas com os candidatos eleitos por cada programa e o resultado será conhecido no Match Day.

Outros requisitos

Para se candidatar a programas de residência, você também precisará apresentar uma carta de recomendação, obrigatoriamente do diretor da sua faculdade de medicina.

Além disso, embora não seja uma exigência em geral, candidatos com publicações e pesquisas se destacam.

Alguns programas têm este aspecto como um requisito.

Você deve apresentar também uma carta de intenções, com seus motivos e objetivos na carreira médica.

Por fim, nem todos os programas exigem, mas ter um estágio nos EUA na área, conhecido como United States Clinical Experience (USCE), conta muitos pontos.

Com ele, você demonstra ser capaz de atender às exigências de hospitais americanos.

Agora que você já sabe o passo a passo de como fazer residência médica nos EUA, veja como o programa funciona.

Como funciona a residência médica nos EUA

É durante a residência médica que os graduados têm a oportunidade de praticar a medicina ao lado de profissionais sêniores na especialidade que escolheram seguir.

Como exemplos de especialidade temos anestesiologia, obstetrícia e ginecologia, pediatria, radiologia e cirurgia.

Os residentes trabalham em hospitais, UTIs, emergências, salas de cirurgias, enfermarias, ambulatórios e consultórios em programa de treinamento e pós-graduação.

Dentre as atividades desenvolvidas estão solicitação de exames, interpretação de diagnósticos, tratamentos, realização de procedimentos e registro de históricos médicos.

Grande parte do seu trabalho e educação nos hospitais acontece nas famosas rondas médicas, verificando as condições e o progresso dos pacientes.

Quanto tempo dura tudo isso e quanto ganha um residente?

Descubra a seguir.

Quantos anos de residência médica nos EUA?

A duração de uma residência médica nos EUA pode variar conforme a especialidade, geralmente de três a sete anos.

Os programas de residência em atenção primária são os mais curtos, enquanto as residências cirúrgicas são mais longas.

Quanto ganha um residente de medicina nos EUA? 

Segundo a Associação Americana de Médicos, um residente recebe em média US$ 60 mil no primeiro ano de atuação.

Dados da organização Medscape indicam que o salário médio de um residente de medicina começa em torno de US$ 50 mil a US$ 70 mil.

O site Glassdoor informa que as médias anuais ficam entre US$ 61 mil e US$ 70 mil.

É claro que os salários dos residentes variam de acordo com a instituição, o tempo de treinamento e a especialidade.

Residência médica nos EUA vale no Brasil? 

Você precisa revalidar a sua residência médica nos EUA para que seja reconhecida no Brasil.

Se essa é a sua intenção, certifique-se de que a grade do programa de residência escolhido segue os parâmetros definidos pelo MEC, pois isso será levado em consideração.

E não esqueça que, para fazer residência médica nos EUA, você precisa de um visto adequado.

Não sabe qual é o melhor tipo para o seu perfil?

Tire a dúvida acessando o Vistômetro, programa que calcula o melhor visto para você e suas chances de conquistá-lo.

E se você tem planos de imigrar para os EUA, mas não sabe por onde começar, conheça nosso programa de mentoria.

Entre em contato e registre sua demanda, pois será um prazer ajudar a realizar seu sonho americano de morar e trabalhar nos EUA.